O último dia do 44º Intercom foi marcado pelo debate sobre a sustentabilidade dos mestrados profissionais e, ainda, sobre revistas científica. O I Encontro da Rede Brasileira de Mestrados Profissionais em Comunicação teve o tema: ´´Entre avaliações e produções: o desafio da sustentabilidade dos mestrados profissionais em Comunicação´´ sob coordenação de Juliano Domingues (UNICAP/Intercom), com mediação de Vilso junior anti (UFRR/INTERCOM). Como debatedores, Eliezer Pires da Silva (Coordenador Adjunto de Programas Profissionais da Capes), João Batista Freitas Cardoso (Mestrado Profissional em Inovação na Comunicação de Interesse Público – PPGCOM/USCS), Renata Corrêa Coutinho (Coordenadora do Mestrado Profissional em Comunicação e Indústrias Criativas – PPGCIC/Unipampa), Luiz Carlos Pinto Júnior (Coordenador do Mestrado Profissional em Indústrias Criativas – PPGCriativas/Unicap) e José Ribamar Ferreira Júnior (Mestrado profissional em Comunicação da UFMA). Deneme bonusu


João Batista ressaltou que ´´Sobre a sustentabilidade, o aspecto é pensar no formato dos mestrados profissionais. Sabemos que é muito novo e precisamos aprender a trabalhar nesse formato. E isso implica mudança de pensamento e atitude ́ ́. Renata Coutinho fez aproximações com o tema do congresso que: ´´O Intercom que traz Paulo Freire é uma oportunidade de resistir e esperançar. É importante ouvir os demais colegas de outras regiões e dividir algumas coisas que nos inquietam para que possamos buscar propostas de pesquisas e trabalhos para os desafios que temos encontrado´´. Lula Pinto acrescentou que ́ ́Todo cenário de incerteza tende a se extinguir. Eu acredito nisso. Atualmente vivemos um momento complicado e isso tem acionado as dificuldades no campo de trabalho, as concorrências, na área de comunicação, o tem feito com que as pessoas tenham buscado qualificação na pós-graduação. Essa concorrência e pressão no mercado de trabalho vem passando por uma mudança nas formas de narrativas e a interdisciplinaridade que está presente em nosso Mestrado em Indústrias Criativas tem ajudado nisso. ´´Sobre a questão da sustentabilidade, a gente entende que a universidade pode ajudar, mas a gente precisa de financiamento´´, concluiu José Ribamar.


Ainda na manhã deste sábado, 09, o II Fórum de Revistas Científicas, que aconteceu no Auditório Frei Caneca, teve a coordenação de Nair Prata (Ufop/Intercom) na palestra ´´A edição de revistas científicas no Brasil – Cenário e Perspectivas´´ por Fábio Assis Pinho (UFPE- Coordenador Adjunto da Área de Comunicação e Informação da Capes). Os palestrantes foram Denise Tavares (Mídia e Cotidiano); José Luiz Aidar Prado (Revista Galáxia); Laura Loguercio Cánepa (Revista Insólita); Lucas Murari (Revista Eco-Pós); Maria Ataide Malcher (Revista Brasileira de Ciências da Comunicação); Maria Immacolata Vassallo de Lopes (Revista Matrizes) e Samuel Barros (Revista Contemporânea).


´´Para o sucesso editorial, a revista precisa buscar padrões, marketing e comunicação, o corpo editorial, os editores, autores e revisores, o conteúdo da revista propriamente dito e as boas práticas. O grande prejuízo das revistas é a expectativa de vida que é baixa, a escassez de verbas, captação de conteúdo de qualidade e mudança nas políticas editoriais das revistas. O sucesso de uma revista está ligado ao editor, que possui habilidades e competências em diversas ferramentas´´, destacou Fábio Assis. O Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Intercom 2021, segue durante todo sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *